Castellano | Portugües | English

Revisar trabajo

Título: CRISE HÍDRICA NA REGIÃO METROPOLITANA DE SÃO PAULO E OS CONFLITOS SOCIOAMBIENTAIS NA SUB-BACIA DO RIO JUQUIÁ, NO VALE DO RIO RIBEIRA DE IGUAPE – SÃO P

Temática: Vulnerabilidades, gestión de riesgos, problematica ambiental y cambio climático

Palabras clave: Recursos Hídricos; Crise Hídrica; Conflitos Socioambientais; Vale do Ribeira; Região Metropolitana de São Paulo; Governança da Água; Justiça Ambiental.

Resumen:

A proposta do trabalho é analisar a construção da adutora do Sistema Produtor São Lourenço, tendo em vista os impactos socioambientais da obra para a Bacia do rio Ribeira como um todo. Esses impactos serão olhados para além do Estudo de Impactos Ambientais (EIA/RIMA), e pensados a partir de elementos da Governança da Água e da Justiça Ambiental. Como resultado, identificou-se uma incapacidade da Companhia Estadual de Saneamento (SABESP), responsável por esta obra, de realizar um estudo de impactos ambientais (EIA/RIMA) capaz de enxergar os impactos e efeitos dessa obra com totalidade. A inclusão da população nas decisões de remediar a Crise Hídrica também foi qualificada como mínima. A ausência de totalidade do EIA/RIMA e a participação não realizada tem como resultado negociações desiguais entre os diferentes agentes do Sistema Produtor São Lourenço. A partir dos resultados, vê-se um cenário que contribui para o silenciamento das necessidades e preocupações daqueles que serão afetados pela obra, mas que não foram considerados para elaboração inicial do empreendimento. Sendo assim, identifica-se, então, que houve pseudoparticipações (SOUZA, 2006) da sociedade civil, e negociações desiguais entre a Sabesp, os municípios e a sociedade civil. Por fim, estes fatores revelam indícios que esta obra pode ser considerada uma injustiça ambiental (ACSELRAD, 2004).

Descargar archivo trabajo completo: archivo_2048.docx

Enviado por: Melannie Schisler ( melannies@gmail.com )

Enviada en fecha: 11-02-2017     01:09

Tipo: Presentación